9th June 2019 Noodles 0Comment

São quatro e meia e acabei de acordar, ainda é noite cerrada. Estava a sonhar. Era um sonho bem real e parecia que estava a acontecer desde que adormeci. Envolvia várias pessoas, algumas que conhecia, outras quase como figurantes. Todas elas envolvidas directa ou indirectamente na acção principal.

Havia apenas uma pessoa que eu não conhecia nem conseguia ver quem era. Apenas sei que era uma mulher, não lhe conseguia ver a cara e no entanto lembro-me de todos os pormenores do resto do corpo dela. Afinal ela era a personagem central do meu sonho.

Lembro-me bem do sonho, de toda a história ao pormenor. Lembro-me dos sons, dos cheiros imperceptíveis, das luzes e principalmente do que senti.

Desde que me lembro, sempre sonhei muito. Sonhos de fantasias ou por outras vezes estapafúrdios. No entanto são poucas as vezes que me recordo de sonhar assim, desta forma tão real, tão possível. Nada do que estava a sonhar era fantasia.

Talvez isto seja apenas a manifestação dos meus desejos mais profundos. Talvez seja apenas uma maneira que a minha mente tenha de me dar a viver aquilo que não tenho ou não posso experienciar.

Sei apenas que, como sempre nestas ocasiões, acordo tranquilo, sossegado e sem sono. Acordo com vontade de continuar a sonhar, no entanto com a consciência que este sonho já terminou. Posso voltar a sonhar e até mesmo ter um sonho igual, mas será sempre outro sonho.

Acho que acordo quando o chego à minha conclusão. Quando o meu desejo é cumprido, quando acontece o que eu quero.

Acho engraçado que tem sempre, mas sempre mesmo, um final em aberto.