18th June 2019 Noodles 0Comment

Já estava aqui todo contente a escrever uma dissertação sobre redes sociais, principalmente sobre o facebook, e entretanto cheguei à conclusão que de facto não vale a pena. As redes sociais são a coisinha mais inútil que existe. No entanto todos nós (ou quase todos) estamos presentes online. Seja facebook, instagram, twitter, clicker, flipper, idioter… há redes ditas “sociais” para toda e qualquer ocasião ou objectivo. Aquilo que há em comum com todas elas é que todas se apresentam com o objectivo de aproximar as pessoas.

No entanto, o que conseguem é alienar as pessoas. Andamos na rua e vemos todos, mas todos mesmo, absorvidos e agarrados ao telemóvel, swipe up, swipe left, o tico e o teco já nem sabem para onde ir. Entro num café, sento-me com o meu livro e os meus blocos de notas a beber uma bebida quente e observo o ambiente à minha volta. Salvo raras excepções, estão todos com o pescoço torto e a cara enfiada no ecrã do telemóvel. Talvez daí o nome “facebook”…

Anyway… mesmo grupos de pessoas sentados na companhia uns dos outros estão, cada um, agarrados ao telemóvel, com o polegar a fazer swipe, swipe, swipe… e fazer companhia uns aos outros… esquece lá isso.

Eu não posso dizer que não uso redes sociais, muito pelo contrário, até as uso q.b. no entanto quando estou com alguém, o meu telemóvel está em silêncio e enfiado no bolso e muito raramente sai de lá. Eu considero que quando uma pessoa está comigo agarrada ao telemóvel está a faltar-me ao respeito, sinto que a minha companhia não é suficiente e como tal agarra-se ao ecrã. Uma coisa é duas ou mais pessoas estarem juntas num local sem fazer nada, tanto podem estar a ler um livro ou no telemóvel e a fazer companhia uns aos outros. Ou seja, o telemóvel não é uma interferência à companhia uns dos outros, outra coisa é estarem completamente absorvidos pelo telemóvel e a ignorarem o que o outro está a dizer ou fazer.

Há aquela linha muito fina entre o que é respeito e o que é a falta dele.