18th April 2005 Noodles

Chegou aquele momento que já esperava. Caiu a noite, sento-me no meu quarto em frente ao computador, a ouvir música e penso em questões existenciais. Porque é que os amores são sempre tão complicados? Porque razão é que duas pessoas que se amavam, deixam de se amar? Será que a linha que separa o amor do desprezo é assim tão ténue? Todas elas perguntas sem resposta, talvez procure incansavelmente pelas respostas, mas é inútil, pois sei que nunca as vou encontrar. Está decidido, vou ficar quedo, no meu canto, ser feliz com aquilo que tenho. Uma sobrinha maravilhosa; sinto quase…

18th April 2005 Noodles

Esta seria uma representação gráfica extremamente fiel do meu cérebro no seu estado actual. Uma confusão de ligações neurológicas com um fluxo de ideias inacreditável, memórias que circulam livremente sem qualquer restrição; memórias boas que me acalmam, dessincronizadas com memórias más que me atormentam. Ao tentar recuperar alguma coerência nos meus pensamentos, alguma lógica, deparo-me com uma tarefa quase Hercúlea. Não, estou a exagerar, estou talvez a ser um lírico. A tarefa não é assim tão difícil, é complicada, trabalhosa, mas não difícil (digo eu). Estranhamente não estou assim tão deprimido; sei que deveria estar, mas não estou e não…

17th April 2005 Noodles

Sinto-me renascer no meio de mágoas e felicidades passadas. Nada de novo ou se calhar tudo é novo; ainda não o sei.Parto à descoberta, ou melhor, à redescoberta de mim próprio. Tento relembrar tudo aquilo que já fui, sei que nunca mais serei exactamente igual, no entanto muita coisa em mim esteve cá sempre, um EU próprio que sempre se recusou a ir embora. Um eu que esteve escondido, exilado num canto remoto da minha mente.Pergunto-me se estou feliz. Não, não estou feliz, nem contente, nem nada que se pareça. Embora esteja em franca recuperação, ainda estou em estado de…

23rd August 2003 Noodles

Foi neste dia que comecei aquilo que já acabou, recomeçou, mudou de forma, de conteúdo… É algo que faz parte de mim, o prazer que a escrita me dá.

3rd June 2002 Noodles

Navego por um mar salgado,ao teu encontro, meu amor.Viajo por um universo estrelado,ao teu lado, meu amor. Um turbilhão de sentimentos,brinca dentro do meu ser.Provocando imensos momentos,do mais puro prazer. Nada disto seria possível,não fosse pela nossa união.A tal que faz tudo exequível,tudo aquilo que é a nossa paixão. Tento transformar amor em poesia,escrevendo estes versos.Talvez tenham cheiro a maresia,e talvez apenas pensamentos dispersos.