29th April 2005 Noodles

No centro de um turbilhão, existem uma calma e uma aceitação incríveis. É um centro inpenetrável, imperturbável. Isto move muita coisa, muita energia positiva mas também muita energia negativa. Parece incrível, inacreditável, mas é um facto. Há energias negativas que tentam destruír o centro do vortex, utilizando meios subtis para tentar produzir efeitos nefastos, mas há por outro lado energias positivas, que dão força ao centro, que ajudam a eliminar a negatividade. E lá, mesmo no centro, há um mundo, um universo onde tudo está equilibrado e que nada do exterior consegue desiquilibrar. É um universo imune aos mephistos desde…

26th April 2005 Noodles

Resolvi desenterrar este post do meu baú de memórias. Hoje está um daqueles dias em que valia a pena ter trazido uma máquina fotográfica, menos mal, vou tentar descrever o que vejo e o que sinto. Está um ceu cinzento, pintado de azul aqui e ali, de vez em quando o sol rasga por entre as nuvens para me banhar com os seus raios, luminosos, intensos. Ao olhar para o mar, uma imensidão calma, algumas ondas pequenas batem nas rochas, vejo uma faixa de luz reflectida na água. Acima do horizonte nuvens cinzentas, raios de luz atravessam-nas provocando manchas claras,…

24th April 2005 Noodles

Não acredito no destino; pelo menos não o destino que se vende por aí, aquele destino que dizem estar escrito e do qual não podemos fugir. Acredito sim, que existe um destino para cada um de nós, mas que nós próprios o construímos. As nossas opções é que decidem o nosso futuro. A simples decisão mais quotidiana, como ir a um café com amigos, vai interferir com o nosso futuro; pode ser um futuro imediato ou um futuro que se passará anos depois, e no final, tudo se resume a essa pequena decisão.Uma das melhores decisões quotidianas que tive foi…

23rd April 2005 Noodles

Nunca repararam naquela cara familiar que encontram sempre no café do costume? Eu reparei, aliás, eu tenho o hábito de observar tudo à minha volta, principalmente quando estou sozinho. Hoje, depois do jantar fui ao café aqui perto de minha casa, onde normalmente vou beber a minha italiana com adoçante. Entrei, fui até ao balcão e pedri o café; enquanto esperava, observei quem estava, quem era, tudo caras desconhecidas, ou então que já tinha visto uma ou outra vez, até que reparei em alguém sentado numa mesa, com uma chávena vazia em cima da mesa, calmamente a ver a bola…

23rd April 2005 Noodles 1Comment

Que saudades que eu tenho de um abraço. Um abraço que envolve, que nos faz sentir protegidos, confortáveis, desejados. Sem dúvida que eu dou muito mais importância a um abraço do que a um beijo ou qualquer outra forma de carinho. Um abraço não pode ser falsificado, é impossível dar um falso abraço, ao fazê-lo a outra pessoa nota logo. Agora por exemplo, um beijo, com muito jeitinho até dá para falsificar, nunca o fiz, mas já mo fizeram. Não foi muito bem disfarçado, mas também não foi uma falsidade que se notasse a milhas de distância. Ficou naquele limiar…

22nd April 2005 Noodles

Fui à rua beber um meu habitual café pós-jantar e quando olhei para cima lá estava ela, a Lua, iluminada, inspiradora. Já não admirava a Lua há imenso tempo, já quase que me tinha esquecido como era bom olhar para ela, imaginar que ela, tal como eu, é apenas um ponto minúsculo no meio do universo; mas que não deixa de ser algo de muito importante só por ser tão pequena. Voltei para casa, sentei-me em frente ao computador e resolvi ouvir um cd que também já não ouvia há muito tempo; parece coincidência, mas não é, estou a ouvir…

22nd April 2005 Noodles

A internet é um mundo vasto, interessante mas contraditório. Como é estranho trocar impressões, ideias, pensamentos com alguém que não conhecemos pessoalmente. Já o fiz várias vezes e ainda o faço, com várias pessoas, mas continuo a achar estranho. Mas aquilo que é mais estranho ainda é a maneira como meia dúzia de palavras amigas, escritas no momento certo e no contexto correcto, fazem bem à pessoa a quem são dirigidas. É verdade, receber algumas palavras amigas na altura certa, de uma pessoa que não conheço, animou-me. Estou quase a saír para mais um fim de semana, não tenho muito…

21st April 2005 Noodles

O ser humano é mau por natureza podendo vir a ser bom, ou é bom por natureza podendo fazer algumas maldades? Aqui está um pergunta que tem muito que se lhe diga. Na minha modesta opinião, acho que isso varia de um ser humano para outro. Há pessoas que são más por natureza, de uma crueldade atroz, capaz de inflingir sofrimento ao próximo sem qualquer dó ou piedade; e talvez, mas apenas talvez, uma ou duas vezes na vida, metam a mão na consciência e façam algum bem. Há também outras pessoas que são boas por natureza, talvez demasiado boas…

20th April 2005 Noodles

Deitado num convés de um navio, algures no meio do Atlantico Norte, vejo as estrelas; milhões delas. Umas, pontos cintilantes no meio do negro, outras apenas um pisco quase imperceptível. Consigo ver a via-láctea em todo o seu esplendor, parece uma névoa extensa que rasga a imensidão do universo. A humidade da noite preenche cada milímetro de ar, colando-me a camisa ao corpo, acompanhado de um calor intenso, se não estivesse escuro diria que estava um sol abrasador.Sinto uma ligeira brisa percorrer-me, um cheiro a mar inconfundível. Ouço música; Dead Can Dance, tétricos, deprimentes, mas relaxantes. Medito sobre a minha…