10th June 2019 Noodles 0Comment

Esse meu velho amigo, confidente, protector. Já ouviu todas as minhas mágoas e alegrias, já me viu em todos os estados de espírito possíveis e imagináveis.

A ele sempre retorno, principalmente quando preciso de estar comigo. Quando sinto necessidade de me abraçar.

Já não voltava aqui há algum tempo. E já não converso com ele há mais tempo ainda. Lembro-me das longas conversas que tive com ele.

O mar. Bravo, calmo, vasto e no entanto seguro. Sempre tive uma grande ligação a ele. Se calhar por isso me deixei andar por lá durante tanto tempo.

Agora mesmo fez-me falta um abraço meu. Vim aqui para o fazer. E depois … Depois, não sei. É que não sei mesmo…