E mais sonhos

De facto ando a sonhar muito. Será cr8atividade? Serão mensagens para ser interpretadas? Será apenas uma mente hiper-activa?

Não sei. Nem estou muito preocupado com isso.

Desta vez, estava de volta no navio. O espaço estava igual, algumas pessoas eram as mesmas, apenas mais velhos. Pessoas novas, algumas coisas novas também.

Sensações que regressaram. Aí nada de novo. Tudo o que senti no tempo que passei a bordo permaneceu imutável. A única coisa diferente era eu, a maneira como reagi a essas sensações, como lidei com elas.

A solidão no meio do oceano, as noites húmidas a ver as estrelas, o balanço das ondas, o vento frio, as saudades de casa. Tudo isto estava lá ainda.

Putos novos que presumiam que eu era novato naquelas andanças, com a “cagança” habitual do seus vinte e poucos aninhos. Novos mas já com um ou quase dois anos de bordo. Mal imaginavam que eu já fiz tudo o que eles fizeram e mais do que isso, ainda eles andavam na escola.

Não me sentia velho, muito pelo contrário, senti como que uma renovada juventude. Senti-me como um jovem veterano. Conhecia os cantos todos à casa, todas as tarefas, deveres, direitos.

Sinto nostalgia dos meus tempos a bordo, mas não regressaria; a minha mentalidade é diferente hoje. Talvez. Se eu pudesse partilhar toda a experiência com alguém especial, talvez fosse diferente.

Lembro-me que a minha maior ferida foi não poder partilhar todas as minhas experiências maravilhosas no meio do mar com alguém. Foram de facto maravilhosas, mas muito solitárias.

Tags: No tags

Comments are closed.