7th July 2005 Noodles

Normalmente não costumo escrever textos que não se refiram a mim próprio, mas desta vez abro uma excepção. Faço-o porque este texto refere-se a uma situação de actualidade que, de certa forma me afectou; não me afectou pessoalmente por conhecer alguém que lá esteja, simplesmente me sinto afectado porque começa a ser demasiado. Há jogos de poder espalhados pelo mundo inteiro, todos eles baseados em interesses pessoais de certas e determinadas personagens. Temos no caso Norte Americano um presidente que nada mais é do que uma marioneta idiota, comandada pelos verdadeiros homens de poder do senado. Temos no caso Inglês…

16th June 2005 Noodles

Estou aqui sentado na minha secretária (entenda-se mesa de trabalho), atendo chamadas de clientes a reportar avarias nos circuitos, resolvo avarias, verifico comunicações entre escritórios. Tudo isto acontece enquanto cinco metros à minha frente está um grupo de três trabalhadores (entenda-se trolhas) e três “engenheiros” munidos das suas fitas métricas, a tirar medições. Tudo isto para mudarem meia dúzia de secretárias de sítio. E viva os nossos “inginheiros”! (Atenção que há engenheiros que são bons no que fazem e são até bastante úteis).

31st May 2005 Noodles

os tigres também mudam a pele. E eu a pensar que só ia ter uma mudança de pêlo sazonal!

17th May 2005 Noodles

de todos os géneros. Estúpidos, burros, ignorantes, idiotas, egocêntricos, narcisistas, entre muitos outros. Não me afectam, muito, mas às vezes apetece-me fechá-los dentro de um roupeiro e deitar fora a chave.

16th May 2005 Noodles

Ontem sucedeu um episódio deveras curioso no supermercado. Estava na fila para pagar, tinha as minhas compras no tapete da caixa, e assim que a pessoa que estava à minha frente se despachou, eu avancei para a outra ponta da caixa de modo a receber as compras e poder pagá-las. Nesse preciso momento estava um homem atrás de mim, com um saco de peixe fresco na mão, que prontamente entrega à menina da caixa. Esta, no meio de uma conversa amigável com o homem, pega no peixe, pesa e faz a conta, deixando as minhas compras no tapete; demoraram cerca…

15th May 2005 Noodles

Detesto jogos e detesto pessoas que fazem jogos. São pessoas que não são capazes de dizer as coisas directamente, não são capazes de agir frontalmente, pessoas que lançam o isco para ver se o peixo morde. Joguinhos e joguetes da treta, que são tudo menos interessantes. Podem até ser interessantes para quem os pratica, mas não o são para a maior parte das pessoas a quem são dirigidos. Coisas tristes os jogos, ignomínias da maior espécie. É curioso que normalmente quem faz joguinhos, em alguns casos de sedução, são os típicos “vítimas”, os desgracadinhos, os coitadinhos, aqueles que são mal-amados,…