29th October 2019 Noodles 0Comment

Estou a passar por uma fase outonal; Acho que já há muito tempo que vivo isto. Pergunto-me se “demoro muito” a passar para outra fase. Talvez para um inverno, ou até mesmo para uma primavera.

Sinto as folhas a ficarem castanhas e a caírem no chão criando um tapete extenso em tons avermelhados, amarelos e um tinto escuro. Pelo meio das folhas vislumbram-se pedaços castanho escuro de terra húmida. Está uma névoa baixa num dia cinzento por onde o sol não espreitou. Consigo sentir gotículas minúsculas de água no ar a caír na minha pele. Vejo luzes perdidas e foscas ao longo do caminho que percorro na minha companhia. Falta talvez uma música de fundo, um piano com uma orquestra por fundo. Algo suave e, talvez melancólico, a condizer com a soturnidade da noite.

Caminho devagar atravessando as núvens baixas enquanto converso comigo próprio. Grandes diálogos, perguntas e respostas e coisas sem nexo… ou talvez com demasiado nexo. Respostas que se calhar não quero ouvir… perguntas que não quero fazer. Sei para onde vou e não sei se quero lá chegar, aprecio a viagem. Sei o que se vai passar e não há muito que possa fazer para alterar isso. Talvez o Bernard Cornwell estivesse certo quando disse: “Wyrd bið ful āræd. Fate is inexorable.”